quinta-feira, 7 de dezembro de 2017

Poemanifestassilgo porque amanhã Chegará(Ajurinânça e Folia em ré bemol maior, para piano. Pro amigo Marcelo Reis de Mello)

Sin embargo a canção predizia
luz-Própria aos incandentes filhos da
pátria, mesmo na tempestade:

podeis andar sem medo da escuridão, desde Emaús o Hóspede 
proclama - acorde suspenso entre litorais, e a fonte ludicamente acende a Luz
nos Ômbrios corações ainda
em farrancho de Marcha____________

e toda Cor de mil braços desbarateia o que é Longe
aos homens de pequena Fé_________

meu Pai Grande: eu sempre e Sempre Arribarei as asas que a sangue e Pedra tão clandestinamente me
Ensinaste_________ que há Adubo no roncalhê

que mostra homens e velórios 
às vezes palitarando os mesmos
e Caldários dentes:

eu todo em alma Maxacali proclamo a Nova que a
névoa do Jaburu não impedirá 
de Amanhecer____________

meninos isso aqui inda não é
despedida, mas cuidem cuidem Bem
da casa que edifiquei
sob o soprOlho dos Três e Mais
de porteiReiras pra sempre Abertas.

segunda-feira, 4 de dezembro de 2017

Em Jacarepaguá...(pro Luis Turiba. Escrito exatamente cinco anos atrás, em 04/12/12)

As nuvens
cabindas baixas
Burbururéu de cem trombones Rombudos
no mei' da tarde 
dezembro, quentário(quase 40 graus)
vento mexe
o cabelo das árvores num
despenteio Arrupio_________

vem ela chuva, só resta 
gente se engrupiar num braçado
embaixo dum ponto d'ônibus: geremário
olha a chuva naquele blasê dos fantasmas, o
nome em todas as placas.

Vem ela chuva - mais Tããão, e
em cima a trombonada enlouquece,
fósforo Elétrico 
pelo céu Tudo:

eu tranço no cocuruto(nem sei por causo de
quê) música dum tempo de eu-minino,
tempo-Longe, portais(JÁ chovidos)_________

____Porto Alegre, tchau.

Antífona: primeiro domingo do Advento(À memória de Alphonsus de Guimaraens. Para Augusto Guimaraens Cavalcanti, e Deborah Finotti)

Senhora Antiga em cujo colo
homêmnios portando cãs ou patinetes buscam
Abrigo_______ abriu-se a porta,

descerrou-se o pano e nos achamos 
à beira do Antiuniverso debruçados,
mar de outonos num céu de árvores 
decotadíssimas e máquinas do braço 

escangalhadas: mas assim como teu Filho,
inda esperas pelos homens Íngremes com a
alma livremente encarcerada
num vasto Caos de amor e de esperança,

ainda que do mal o rosto Nu se
expanda como duros tímpanos num Vocifério
luciferino_______ eu vejo, ó Santa 

teu florido sol de girassóis Incandescer
o coração do Mundo, enquanto cegas a tesoura 
dos ímpios e irrompes com teu manto

pelas Cinco Salas de todos, vejo um Lúcido porvir
amanhecer em violetas e safiras grinaldadas_________

para a Glória dos Três vir o mundo Inundar,
como elas águas vão vestindo o Mar...

domingo, 3 de dezembro de 2017

O Arlequim(Pro meu irmão André Mauro)

E neste quantum dele tempo - coisinterlúnio,
desvão de Hora ensandecida
por maresias -

no Méier de onde saí juravam 
que bastava Nascer. Outros prequeteavam que o outono -
trazido no dorso de nhanderês migradores
(cujas asas lembram os doze filhos do relógio) -
pendia do teto
pra Todo Mundo___________

o Cristo evém novamente - nem a graduação 
terminei - faltaram anjos de calça larga e gravata 
que me ensinassem o Jazz e me escrevessem 
o milagre dos peixes no coração numerÍndio,

neste quantúm dele Tempo vou junto das gentes 
sorver o veredito das abelhas - depois que nos arquivos 
não sobrar sequer UMA__________

coisinterLúnium de ponteiros a mungunzar
catimBreus dela Hora________ a sala
é quase sem paredes,
jornais só falam do crescentê
dele retrato de Itabira
por todas elas:

_____dorme meu filho, no céu 
a lua é coisa
em Si.

sábado, 2 de dezembro de 2017

Choro Inmalungo(Ou mamulengo da pá-do-Cão. Pro meu irmão André Mauro, e pra Emanuela Helena)

I) Allegro con brio

Retrós de erês e guaribas e
embolôs de sarrilhos num qualquer 
de-Maio opus 67 e nós juramos nunca mais 
cangalhas por vestimenta e relho
por 'ssinaturas_________ certo,

nascemos Escuro. E repetimos trevura
junto ao licor de tiquira com pólvora:
nossos pais não diziam que era Vil
o tal "socorro" do Embú com suas mandingas
e ebós, e a liberdade fugia(Desérdata), o
corpo mais Nu da paróquia.

II) Andante quasi una modinha

Ó tal Futuro, não mais te peço 
a mão 'rugada pra beijar, que teu jantar 
é Silêncio porque dos brasílios um por cento 
manda sozinho em quase todas 
as Itabiras, janela aberta onde mariás
se debruçam pra ver o resto do país 
             (Atacca)
III) Allegro

ir sem censura às Cucuias: ness' Hora
São Mármaro lembra que - nessas bases -
futuro é também um velho, dormindo 
em cadeira Imprópria, ao som do mar,

um sono de lagarto que não mais ouve
o sino do Ângelus, novena que - ele Assegura -
Deus não Quére, só o homem, com pito
do Caperudo nos beiço'.

quinta-feira, 30 de novembro de 2017

Um tanto de Cantiguinha(Para Luciana Moraes)

A sombra azul dela tarde reboleteia
os braços. Sabiás gourmejam no peito
gravatas laranja, e as árvores da avenida 
soam seus clavicórdios pontualmente 
na antessala do crepúsculo,

ninguém lembra que antôntem ness'hora
tempestuou: chuvarão a cobrir de edredons
o calçamento das gentes, e que afinal Rareia
ao toque do coche da ventania
com serafins de seis olhos________

e eu me quedo poeta a ramerrar cá Dentro
enquanto tarde arrasta os últimos claros
e bebês arquivados em carrinhos avoam
pra dentro das casas_________

nas poças que morrem Últimas 
nos brincos d'água que decaem de florinhas na
praça saens peña aprendo - de-Novo a Cantiga

_____do barro Maior pra arquitetura de Tudo...

quarta-feira, 29 de novembro de 2017

Esboço a lápis 9b nele Coreto de Quintino(Poema iscrivinhado depois de ler texto de Michel Onfray disseminado pelo Sérgio Ortiz de Inhaúma, a quem dedico o poema, e ao amigo Túlio Cecí Villaça)

Meu lado esquerdo anda Espaço, Intinério,
nhambú sem pouso: parte
do que sinto me Anoitece, (espaço) 
onde folgadamente descomedeja

um boi-Morto_______ mesmo que cidadelas
inda usassem chapéu, há muito não tem mais na paróquia 
funcionário com pássaro no ombro que lhes guarde
os nomes no livreto de versos________

gente queda na margem pra ver
rodopiê da enxurrada, em cima nuvens 
guardam ciclopes-Marteleiros com pernas de curupira,

'calanto há muito fugido 'nxotado dos berços 
parques e ônibus_______ ALI mais ou menos

na Meiúca entre o altar e a torre 'joelham-se
geolhos nublados, quirieleissão,

penitência: farranchos da coréia-do-norte vão Sérios
na derrubança dos tijolos que os homens sobem
com aguandaimeareiamassa pra depois 

- a torre  - longe do ateu
que aos domingos é carne lúpulo e peido:

mar que segue a Procissa
de galeras ruminaradas
com paciência de santo. 'ssa cachaça

alarga é Maaais o lado espaço onde Esquerdo,
nhambú sem pouso boca sem mato
brejo das almas, bonde perdido - esperança??

boi-Morto, Descomedido lampão,

olhêle o bicho cruz-credo
que vem lá de longe.